O Veredicto 2021

Carta-audiovisual, 17 min
Direção
  • Yara de Novaes
  • Clarissa Campolina

Sinopse

Parte do programa Abismos de Dostoiévski | Publicado originalmente em “Diário de Escritor”, no número de outubro de 1876, O Veredicto narra em primeira pessoa, o pensamento de um materialista para justificar o suicídio. Uma experiência essencialmente dialógica que encerra numa única personagem os papeis de réu, defensor, promotor e juiz.

Sinopse

O Veredicto é uma carta audiovisual criada por Clarissa Campolina, Rômulo Braga e Yara de Novaes, que estrutura-se no diálogo entre duas experiências fílmicas em que um mesmo ator atravessa o tempo e reedita uma antiga personagem, como se ela fosse um espelho sobre o qual se busca a imagem da nova personagem. Enquanto uma perambula pela cidade em busca de si mesma, a outra faz de uma poltrona vermelha o seu lugar no mundo. Um jogo de espelhos que revela que o mal-estar da personagem de Dostoiévski cabe em qualquer tempo e lugar e que, como ele mesmo escreveu a seu irmão, Mikhail, “a vida é vida em toda parte”.

Ficha Técnica

Direção

Autor

  • Fiódor Dostoiévski

Atuação

  • Rômulo Braga

Tradução

  • Priscila Marques

Imagem

  • Rômulo Braga

Captação Sonora

  • Rômulo Braga

Fotos

  • Gustavo Marx

Imagens de arquivo “Os que se vão” | Direção

Imagens de arquivo “Os que se vão” | Fotografia

  • Lucas Barbi (e gentilmente cedido pelas produtoras Anavilhana e Errante)

Desenho de som

  • Morris Picciotto

Trilha sonora

  • Morris Picciotto

Montagem

  • Luiz Pretti

Finalização de imagem

  • Lucas Campolina (Olada Audiovisual)

Agradecimentos

Galeria

1 / 8